domingo, 16 de fevereiro de 2020

XXXV - Cascais - Portugal



❤Ondas revoltas que despertam a alma mais adormecida.❤
Megy Maia

XXXV - RASCUNHOS

❤Quando.
Senti lá ao longe.
Um perfume intrigante.
Senti uma paz.
Outrora esquecida.
Seria de um anjo de luz.
Ou de uma pétala.
De rosa caída.
Olhei em redor.
E o aroma.
Afinal.
Era de favo de mel.
Pincelado e amado.
Tatuado.
No teu olhar.
Angelical.
Que do outro lado da rua.
Me beijava.
E me intrigava.
Pela saudade.
Sentida.
Da antiga bagagem.
Que cruzou nossos viveres.❤

❤Megy Maia

sábado, 15 de fevereiro de 2020

XXXIV - RETRATOS - Santarém - Portugal

❤Num jardim existe sempre muita vida.
Para ser amada.❤
Megy Maia

XXXIV - RASCUNHOS

❤Malmequer.
Bem - me - quer.
Vou eu desfolhando.
Pela seara.
Fora.
Eu vou.
Cantarolando.
O sol.
Entusiasmado.
Tenta me distrair.
Com as gotas.
De orvalho.
Que meus pés.
Acabam de sentir.
Mas, não perco.
O rumo.
Nem o norte.
Não estou perdida.
Nem à sorte.
Apenas.
Com vontade.
Do último dizer.
Da singela folha.
Que acabou.
De esvoaçar.
E que lentamente.
Toca meu ebúrneo.
Coração.❤

❤Megy Maia

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

XXXIII - Lisboa - Portugal

❤Nunca tenhas medo de dizer.
Eu amo - te.❤
Megy Maia

XXXIII - RASCUNHOS

❤Sentada.
Na areia escaldante.
Vizinho à beira mar.
Recordo.
O nosso primeiro olhar.
Repleto de luz.
De uma luz.
Tão luzidia.
Como a espuma.
Cristalina.
Que meus pés.
Vem beijar.
Parecendo.
Uma concertina.
Sibilante.
A tocar.
Nossos lábios.
Ciumentos.
Embora.
Um pouco.
Envergonhados.
Também.
Se quiseram  enrolar.
Que ninguém.
Os conseguia desjuntar.
Beijo genuíno.
Intenso.
Como o nosso amor.
Que contra.
Todos o ventos e mares.
Até hoje perdura.
E está gravado.
Nas nuvens do céu.
Feitas de algodão.
Que guardam o quente.
De nossas mãos repousando.
De tamanho prazer.
Na recordação.
De tão infinito amar.
De dois seres.
Que se perdem no sorrir.
Cândido.
Um do outro.❤

❤Megy Maia

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

XXXII - RETRATOS - Lisboa - Portugal

❤Cultiva o teu jardim interior.
Com pétalas de amor.
E colherás rios de felicidade.❤
Megy Maia

XXXII - RASCUNHOS

❤Trancada.
A sete chaves.
Entre tempestades.
Tento fugir.
Mas, a negridão.
Tomou - me de assombro.
Solto meus guinchos.
A sete mares.
Mas, só vejo nevoeiro.
Neste meu velejar.
Peço.
Aos sete ventos.
Para me soltar.
E libertar das amaras.
Deste meu doentio amar.
E o vento.
Tenta me salvar.
Mas, a estridente corrente.
Meu veleiro.
Tenta naufragar.
Minha alma acorda.
E o sol desperta.
E meu coração.
Desespera.
Na esperança.
Que a gaivota.
Abandone seu mastro.
E voe.
Para terra.
Terra à vista.❤

❤Megy Maia

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

XXXI - RETRATOS - Barro ( Pontevedra) - Espanha

❤Quando um coração se sente só.
A natureza pode ser a sua maior companheira.❤
Megy Maia

XXXI - RASCUNHOS

❤Sentindo.
O relógio.
Passarinhar.
Num ritmo.
Desconcertante.
Escondido.
Em lágrimas.
Cristalinas.
De saudade.
Sentidas.
Pelo acerto.
Dos ponteiros.
Em que seus lábios.
Choram pela ausência.
De um intimo.
Beijar.
Fecho os olhos.
E tento acordar.
Mas que desalento.
Perdida no momento.
Minha mão.
Sorrateiramente.
Alinhava.
Com os meus pensamentos.
O fado.
De apenas.
O retirar do bolso.
Já comido.
Pelas traças.❤

❤Megy Maia