domingo, 9 de agosto de 2020

LXXVIII - RETRATOS - Santarém - Portugal

❤ Os amigos são autênticas  relíquias.
Pintados no teatral de um viver.
Onde o apego das almas é uno.❤
Megy Maia

segunda-feira, 3 de agosto de 2020

LXXVIII - RASCUNHOS

❤Nesta noite fria,
finjo que não vejo,
que estás tão perto.
Viro - me e apresso - me.
Salpico a calçada,
choro lágrimas de dor.
E a lua,
lá do alto faz rimas de amor.
Mas, meus pés cansados,
negam - se a continuar,
meus pensamentos a mendigar.
Não, por um pedacito de pão.
Mas, pela leveza de um perdão.
Que ficou trancado,
nas labaredas de paixão,
vazias e muito desumanas,
de dois seres antagónicos,
ao verbo amar.❤

❤Megy Maia

terça-feira, 28 de julho de 2020

LXXVII - RETRATOS

❤Não seja apenas a bengala da vida de alguém.
Acerte o relógio e dignifique - se.❤
Megy Maia

quinta-feira, 23 de julho de 2020

LXXVII - RASCUNHOS

❤Sentada no areal,
de uma ilha fugitiva,
oiço a voz de minha alma,
cantarolando versos de amor.
A nostalgia do momento,
fez - me parar no tempo.
Um tempo onde as horas,
parecem tesouros a desvendar.
Sonho que és um naufragado,
e eu a ancora perdida.
Respiro fundo,
e mergulho nas águas,
límpidas de um sentir.
Um sentir arrepiado,
que transpira luz.
A luz de um longínquo viajar,
por labirintos de paixão,
que se erguem na infinitude,
das ruínas de um amar.
Debruado a ouro,
renascido das cinzas,
de um antigo diário de bordo.❤

❤Megy Maia

sábado, 18 de julho de 2020

LXXVI - RETRATOS - Lisboa - Portugal



❤Não viva na prisão do medo.
Só depende de você.
O deixar ou não entrar no teatral da sua alma.❤
Megy Maia

terça-feira, 14 de julho de 2020

LXXVI - RASCUNHOS

❤Com um abraço,
tu me envolves,
e minha risada,
acorda a teu lado.
A cópia da chave,
da pureza do meu amar,
só tu guardas,
entre o folhear,
das antigas ruínas,
do teu coração.
Sou o teu olhar,
e me afogo no desejo,
de velejar,
no tempo perdido,
entre o agora,
e o despertar,
do nosso primeiro beijo.
És a história inacabada,
entre chuviscas,
que no deleite da noite,
sussurravam juras de amor,
Perdidas entre tragos,
de um aveludado vinho rosé.❤

❤Megy Maia

sábado, 4 de julho de 2020

quinta-feira, 2 de julho de 2020

LXXV - RASCUNHO

❤Eu escrevo,
com a caneta da alma,
foi sem querer que te quis.
Na plenitude de um amar,
gravado nas memórias de um tempo,
onde o mistério perdura.
E o relógio teima em acordar.
Perdidos entre neblinas,
de um efémero viver,
oiço lá ao longe,
o chilrear do rouxinol.
E meu sorriso,
aclara a noite fria.
Liberto - me das amarras.
E de braços abertos,
sou acolhida na sombra da lua,
junto do antigo rochedo.
Onde a lembrança,
dos nossos gargalhares,
se ouvem no eco,
da obscena cachoeira.
Que uniu na fúria das águas,
nossos incandescentes,
tribais dançares.❤

❤Megy Maia

domingo, 28 de junho de 2020

quinta-feira, 25 de junho de 2020

LXXIV - RASCUNHOS

❤Oiço o bater de minha alma.
Procurando abrigo.
No bailado.
De um espalhar dançante.
Perco - me na magia dos passos.
E escrevo ritmada.
Com as asas da felicidade.
Sinto - me libertina.
Como a labaredas da paixão.
Que não se esquecem do beijo.
Que ficou na sombra.
Da tatuagem.
Que respira vida.
No teu ventoso afagar.
Transpiras luz.
E eu indecisão.
Do borboletear.
De nossos corpos.
No leito feito de folhas.
Junto à solidão.
Da chuva que queima.
Qualquer coração desnudado.❤

❤Megy Maia