Translate

👄Seguidores👄

segunda-feira, 27 de junho de 2022

V - Desabafos - Megy Maia

V

Amor

Tudo ao nosso redor foi pincelado brotando amor. 
O amor brota de telas dançantes, de canetas viajantes, do aroma de cada flor, da leveza de cada folha ondulante, das amoras sorridentes, do canto sereno do cisne, da paixão ardente, do abraço luzente e quiçá do beijo quente.
O amor  redopia e contagia cada um de nós.
O amor não é eterno, nem perfeito, é um pouco brincalhão e joga muitas vezes às escondidas com o nosso coração.
Bate à porta muitas vezes sem pedir licença, por vezes adormece, outras vezes é um sol de alegria, outras vezes nos abandona e aí doí sem mais cantorias.
O amor  é uma luz que vem de dentro de nós que flui como a água desde a nascente até aos humildes jardins de um viver.
Feche os olhos e encontre essa luz dentro de si, o universo encarregar- se - à do resto.
Dê asas à  felicidade.

Megy Maia

sexta-feira, 17 de junho de 2022

IV - DESABAFOS - Megy Maia

IV

Missão

Todos temos uma missão,  para cumprir neste planeta envelhecido, no que toca ao despertar da espiritualidade.
A jornada segundo a segundo acontece.
Confie nos seus instintos e procure energia ancestral dentro de si mesmo.
Aprenda a olhar para as manifestações da natureza com outra sapiência. 
Olhe com os olhos da alma e não tenha medo de ser diferente.
Corra atrás das gaivotas na praia, suba rochedos sorridentes, mergulhe nas ondas cantantes, acenda uma fogueira dançante e adormeça olhando para estrelas falantes.
Tropece em novas palavras, tropece em outros desenhares, tropece em novos acreditares.
Somos pirilampos viajantes, por isso, aproveite a jornada, desafiando - se a si mesmo.
Uma boa jornada.

Megy Maia

sexta-feira, 10 de junho de 2022

III - DESABAFOS - Megy Maia

III 
Reencontro

Acendo a fogueira do meu ser e sou tocada por sombras viajantes, sombras viajantes que caminham de mãos dadas desde tempos remotos, tão remotos como o amor sempre presente nas entrelinhas de um destino.
Perco - me entre arvoredos no meio da floresta.
As folhas fieis companheiras me dão a mão e me levam a viajar por um mundo desconhecido.
Com meus pés já um pouco maltratados corro sem rumo à procura da minha voz interior à tanto perdida.
Já cansada decido descansar junto ao leito do rio e no reflexo das águas cristalinas, as nuvens te ofertaram sem pedir nada em troca.
Não se sabe nem o dia nem a hora somente se sabe que é mágico.
Mágico somente mágico o reencontro com a voz da minha alma.
O sentido, apenas gratidão.

Megy Maia : - Tantas vozes, tantas gentes perdidas neste tempo presente.

sábado, 4 de junho de 2022

II - DESABAFOS - Megy Maia

II 
Abraços

Traço caminhos nos labirintos do meu ser, atravesso rabiscos acreditando nos sonhos, sonhos de uma vida antiga já outrora vivida.
Encontro nessa vida almas viajantes, procurando as muralhas onde se sentiam seguras, muralhas essas com o nome de abraços.
Abraços que não têm peso nem medida, abraços apenas sentidos, sentidos como o vento que nos beija a qualquer momento.
Sinto uma lágrima cair esborratando minhas palavras, saudades apenas saudades dos nossos encontros, onde sentia a sintonia de dois seres tecidos num tempo onde a luz imperava.
Que a luz dos abraçares toque de novo nas teclas do destino de cada um de nós.
Ainda acredito num novo amanhã.

Megy Maia

domingo, 29 de maio de 2022

I - DESABAFOS - Megy Maia

I

Olhares

Palavras leva - as o vento, nesta noite ao relento, onde a solidão se apaga com o brilho da sabedoria de estrelas cadentes.
Lá ao longe, vejo almas dançando entre sombras de sonhares ancestrais.
Revejo tempos, onde ainda havia amor, um amor puro,  trocado por olhares verdadeiros.
Um olhar verdadeiro que nunca se esquece e que permanece imaculado em nós.
Que não desiste da sua caminhada, que não insiste.
Que não questiona mesmo que se sinta perdido entre lágrimas de dor.
É tão desumano amar e ser ferido pelo olhar de quem mais se ama.
Somos pequenas centelhas de luz, viajamos de mãos dadas, nunca esquecendo aquele dito olhar, que só uma alma gémea reconhece.

Megy Maia

quinta-feira, 26 de maio de 2022

CXIX - RASCUNHO - MEGY MAIA

❤Reencontra - te,
no dom que o Criador te deu,
na tua angélica paixão,
na tua sábia canção.
Reencontra - te,
no teu jardim interior,
nas flores cantantes,
nos passarinhos esvoaçantes,
nas águas cristalinas do rio viajante.
Reencontra - te,
nas folhas cintilantes,
nas estrelas ancestrais,
nas montanhas perdidas,
ao sabor do vento.
Reencontra - te,
nas páginas de um livro,
onde impere humildade,
e deixa - te ir, somente ir,
até que a lua ilumine,
o viajar tranquilo de tua alma,
por um mundo nunca antes navegado.❤

❤Megy Maia

domingo, 15 de maio de 2022

X - 🌼CANTARES DO POVO🌼 - Letrista - Megy Maia

 

LETRA DA CANÇÃO


Aconchego


🌼Perdi - me no teu aconchego,
em labaredas de dor,
fechada entre quatro paredes,
queria meu anjo esquecer outro amor.

Lágrimas!
Não eras tu quem eu queria, não eras tu quem eu queria.

Nada faz sentido,
quando o coração não sente,
a pele não arrepia,
a música não tem sintonia,
é fria, é tão fria.

Lágrimas!
Não eras tu quem eu queria, não eras tu quem eu queria.

Alma gritante,
zangada por demais,
briga feia,
pelo sentido no momento,
puro, puro, desalento.

Lágrimas!
Não era tu quem eu queria, não eras tu que eu queria.

🌼Letrista - Letra Original - Megy Maia

quinta-feira, 12 de maio de 2022

CXVIII - RASCUNHOS

 ❤Uma tempestade se aproxima,
relâmpagos rasgam a escuridão,
da timidez de um gritante amar.
No momento,
despedi - me do teu corpo,
que seduzido,
gemia de tanto medo de um perder.
Mãos confusas,
na noite fria,
onde a espera fica guardada, 
no fogo dos lençóis.
Arrepios escaldantes,
gravados na alma,
que fugitiva,
fica presa,
nos teus lábios serenamente,
inquietantes.❤

❤Megy Maia

quarta-feira, 4 de maio de 2022

CXVII - RASCUNHOS

❤Eras a estrela,
que chorava baixinho,
na calada da noite,
perto do sorrir de minha alma.
Tuas lágrimas cristalinas,
suavizavam a dor sentida,
vivida em tempos de outros fados.
Quis segurar - te,
bem pertinho do inesquecível.
O vento assobiou - o,
e a saudade levou, levou.
Despi - me de preconceitos,
e deitei - me na folhagem,
da árvore cantante,
onde o amor permanece,
nas raízes de uma insana tempestade..❤

❤Megy Maia

terça-feira, 19 de abril de 2022

CXVI - RASCUNHO

❤Nasci para ser tua,
num vendaval de emoções,
olhares dançantes,
nuvens esvoaçantes,
abraços sorridentes,
ondas estridentes.
Dúvidas de ser tua,
nunca presente,
nesta história da gente.
Saudades,
numa outra página,
numa outra linha,
terminando na felicidade,
de num longínquo ponto final.❤

❤Megy Maia